Acessibilidade

A + A A -
Terça-feira, 12 15:25

Meio Ambiente confirma descarte irregular de efluente na rede de drenagem urbana

A Diretoria de Fiscalização Ambiental (DFA) da Secretaria do Meio Ambiente (Semmam) confirmou o descarte irregular de efluente na rede pública pluvial. Segundo as informações da diretoria, após denúncias de alteração da coloração da água do canal da avenida Atalíbio Taurino de Rezende, no bairro Campina, no dia 16 de maio, a equipe verificou uma coloração amarela intensa, característica de efluentes contendo o metal cromo. Este elemento é utilizado em processos de galvanoplastia para revestimento de peças.


Na inspeção, os fiscais identificaram o descarte irregular junto a uma empresa de galvanoplastia. No bueiro em frente ao estabelecimento, foi observado o lançamento do efluente com a coloração amarela, composto por resíduo de cromagem, diretamente na rede de esgoto, ocasionando a contaminação do canal de drenagem da Atalíbio, que deságua no Arroio Cerquinha, sendo este afluente do Rio dos Sinos. De acordo com os dados da DFA, não foi possível quantificar o volume de efluente lançado, uma vez que o canal já se encontrava contaminado, e o efluente estava misturado à água.


Tomadas todas as medidas para identificação do responsável, a empresa foi notificada na data da constatação da irregularidade, que, pela gravidade dos fatos constatados, foi sucedida pela emissão de Auto de Infração e instauração de Processo Administrativo de Análise e Julgamento de Infração Ambiental. O processo pode resultar em multas que variam de 501 a 5.000 UPMs, que, em valores monetários, giram em torno de R$1.713,42 a R$17.100,00. Além da autuação por lançamento irregular de efluente sem os devidos tratamentos, a empresa foi autuada por operar com a licença ambiental vencida desde 2014.


A DFA registra que a Resolução Consema 355/2017, que dispõe sobre os critérios e padrões de emissão de efluentes líquidos no Rio Grande do Sul, regulamenta concentração máxima permitida para o cromo hexavalente de 0,1mg/L. Na data da abordagem, foi coletada uma amostra do efluente lançado diretamente na rede de esgoto, sendo esta analisada pelo laboratório de análises do Serviço Municipal de Água e Esgotos (Semae). O resultado apontou a presença do cromo, na concentração de 30mg/L.


[Fotos: Semmam | Texto: jornalista Vanessa Bueno | MTb. 11.299 | Scom/ PMSL]

Editorias
Prefeitura Municipal de São Leopoldo
Av. Dom João Becker, 754. Centro. CEP: 93010-010. Fone: (51) 2200-0201
Horário de atendimento: 9h às 14h