Acessibilidade

A + A A -
Quinta-feira, 09 de Março de 2017 16:27

Em dia mundial de manifestações, mulheres de São Leopoldo ocupam a Independência

Caminhada na Independência Foto: Charles Dias Caminhada na Independência
Foi um final de tarde diferente em São Leopoldo. Unidas, mais do que nunca, mulheres de todas as idades pararam a principal rua da cidade nessa quarta-feira, 8 de março, para chamar a atenção aos direitos femininos, contra a violência e o preconceito, pela equidade de gênero e, acima de tudo, para demonstrar força de mobilização e organização política. 
No Dia Internacional da Mulher, a caminhada que partiu da Câmara Municipal de Vereadores e atravessou a rua Independência foi  além de um protesto – foi um encontro de gerações com vontades iguais; a valorização da mulher na vida, no mercado de trabalho e contra o retrocesso da política nacional, com faixas, cartazes, camisetas de todas as cores e entoando frases de ordem. 
À frente das centenas de mulheres e alguns homens que se apoiaram a manifestação, a vice-prefeita, Paulete Souto, despertava a curiosidade de quem ainda não a conhecia. ''Olha, aquela é a vice-prefeita'', apontou a estudante, Luciana  Gomes, 17 anos,  que assistia à caminhada com uma amiga.  Para a vice-prefeita, a união de mulheres de várias idades mostrou a recompensa de um trabalho que vem sendo construído na cidade: ''A nova geração está se incorporando à luta feminista , isso faz com que o movimento não pare''.  O prefeito Ary Vanazzi  acompanhou a caminhada e afirmou estar satisfeito com a manifestação e a participação da comunidade.  Secretários municipais e vereadores também estavam presentes.
 
Frida Kahlo
A pintora mexicana Frida Kahlo, um símbolo do feminismo mundial do século XX,  considerada uma mulher a frente do seu tempo, estava representada na caminhada em camisetas, frases e, em especial, pela primeira-dama, Daniela Affonso. Caracterizada como artista mexicana, a primeira-dama explicou: ''Escolhi a Frida porque ela superou seus limites físicos para seguir trabalhando, ela representa a força da mulher. É um exemplo para refletirmos sobre nossas vidas''. 
Todas as idades
Com o filho Davi, de dois meses, no colo, a estudante Paloma Lopes, 17 anos, caminhou em silêncio. "Trouxe meu filho e quero que ele cresça num mundo melhor, onde os homens respeitem as mulheres. Está complicado ser mulher, é muita violência e injustiça'', falou. Enquanto Paloma seguia em silêncio, Lourença Sales, 63 anos, gritava palavras de ordem. Fundadora do Sindicato das Domésticas na cidade, foi para a rua insistir por seus direitos. ''A gente quer ter direitos preservados, se a gente não brigar por isso, quem vai brigar?'' 
 
Entre elas, eles
Maridos, amigos, namorados. Os homens também participaram da caminhada e foram parceiros entoando as frases de ordem, entre elas: ''Se cuida seu machista, a América Latina vai ser toda feminista”. O estudante de Teologia, Maurício Klug, 22 anos,  foi protestar contra a violência e contra o estupro. ''Vim apoiar as mulheres, é importante estar aqui para ser uma força a mais nessa luta''. Agnaldo Cavedon acompanhou a mulher, Viviane Aulert ,que caminhou com flores nos braços, presente dele. ''É fundamental pela participar pela igualdade e para protestar contra o que estão fazendo'', disse ele. ''É uma alegria ter ele junto , é parceria'', contou ela.
As atividades que marcam o Dia Internacional da Mulher seguem até o próximo dia 25. O Mês da Mulher tem como tema “Todas juntas por nenhum direito a menos”.  A Prefeitura, por intermédio da Secretaria de Políticas para Mulheres (Sepom), organizou as ações que envolvem diversas secretarias, o Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (Comdim), entidades e organizações da sociedade civil e instituições de ensino.
 
[Fotos: Charles Dias | Jornalista: Aline Marques | RPMT 8929| DECOM/Prefeitura de São Leopoldo]
 
Editorias
Prefeitura Municipal de São Leopoldo
Av. Dom João Becker, 754. Centro. CEP: 93010-010. Fone: (51) 2200-0201
Horário de atendimento: 10h às 16h